Leite não compra vacina, mas quer vender Corsan e Banrisul, aponta líder do PT

O governador Eduardo Leite reconheceu, de público, o que a Bancada do PT já denunciou em várias ocasiões, de que não honra a palavra dada. Depois de encaminhar a privatização da CEEE, CRM e Sulgás, hoje Leite anunciou que pretende privatizar a Corsan e o Banrisul. “O governador não tem celeridade para comprar vacinas ou implantar a renda básica emergencial, mas tem pressa em vender o patrimônio do povo gaúcho”, critica o líder da Bancada do PT na ALRS, deputado Pepe Vargas. O parlamentar lembra que Leite vai na contramão de vários países do primeiro mundo, que estão reestatizando os serviços de saneamento.

A Corsan, próximo alvo da sanha privatista de Eduardo Leite, é uma empresa estatal de economia mista, que presta serviços de saneamento básico a 320 dos 497 municípios gaúchos. A intenção do governo é manter-se apenas como um acionista minoritário da companhia, com 30% das ações. A justificativa do governador para entregar o patrimônio público é de que o Estado não teria condições de fazer os aportes de recursos necessários para cumprir o novo Marco Público do Saneamento. “Os prazos do novo marco, inicialmente, vão até 2030, Eduardo Leite, que deixará de ser governador no final do ano que vem, não tem o direito de comprometer o futuro do saneamento público no RS”, critica Pepe Vargas, lembrando que os municípios pobres serão os mais prejudicados com a privatização, pois não terão recursos para bancar sistemas municipais de saneamento.