Pepe entrega emenda a Escola de Nova Prata

Durante a visita a comunidade escolar demonstrou aflição sobre o reajuste proposto pelo governo e a situação do IPE Saúde.


Diante dos problemas de infraestrutura enfrentados pelas escolas estaduais do Rio Grande do Sul, o deputado estadual Pepe Vargas (PT), apresentou emendas ao orçamento do Estado de 2022, com o propósito de garantir melhorias na educação. Em Nova Prata, na manhã desta quinta-feira (14.04), o parlamentar entregou à direção da Escola Estadual Tiradentes, a confirmação da emenda no valor de R$100 mil. “Há algum tempo estamos em contato com a comunidade escolar, a partir de uma aproximação da Associação de Pais e Mestre”, contou.

Na ocasião, Pepe conversou com professores e funcionários que demonstraram estar descontentes quanto ao Projeto de Lei nº 52/2022, que propõe reajuste salarial de 6%. O deputado informou que a bancada do PT já apresentou duas emendas ao projeto. "Queremos garantir, pelo menos, a inflação do último ano com o reajuste de 10,06%'', afirmou. A primeira delas propõe que o reajuste de 10,06% a contar de 1º de janeiro de 2022 em vez dos 6%, sendo 1% a contar de janeiro e o restante a contar de abril, proposto pelo governo do Estado. A segunda emenda garante esse reajuste a todos os servidores, uma vez que, para os que recebem completivo para chegar ao Salário Mínimo Regional, a reposição proposta pelo governo na remuneração será de 0% ou menor que os 6%.

Para o Magistério, considerando o total da Folha, o reajuste foi de apenas 10,8%, frente à inflação do período, que chegou a 57,1% em março (INPC de 01/2015 a 03/2022). “Mesmo com a reposição proposta pela bancada do PT, a despesa com a Folha de Pagamento estará abaixo do limite estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal”, ressalta Pepe.

A comunidade escolar também demonstrou estar apreensiva com a situação do IPE Saúde, que vai desde a falta de atendimento, descaso com os usuários, ao desequilíbrio das contas. O deputado Pepe Vargas, ainda em 2019 criou uma subcomissão na busca de soluções para os problemas da autarquia. “Durante meses ouvimos usuários e pessoas ligadas ao IPE Saúde elaboramos um relatório com recomendações que poderiam melhorar o sistema de atendimento e a saúde financeira da autarquia. As recomendações foram levadas ao Governador Eduardo Leite que lamentavelmente não observou nenhuma delas”. As discussões seguem na Assembleia Legislativa sobre o tema. Na quarta-feira (6) houve nova audiência para debater o desequilíbrio das contas e buscar soluções.