Pepe Vargas presta homenagem a três cooperativas vinícolas pelos 90 anos de existência

Pepe Vargas presta homenagem a três cooperativas vinícolas pelos 90 anos de existência



O deputado Pepe Vargas (PT) homenageou, no Grande Expediente da sessão plenária desta terça-feira (7), três cooperativas vinícolas que completam 90 anos de existência em 2021. As cooperativas Nova Aliança, de Caxias do Sul, Garibaldi, do município de Garibaldi, e São João, de Farroupilha, foram agraciadas momento antes, numa cerimônia no Salão Júlio de Castilhos, com a Medalha da 55ª Legislatura, também por iniciativa do deputado petista.


Na tribuna, Pepe falou sobre o surgimento das três vinícolas e ressaltou os pontos que têm em comum. “Em primeiro lugar, são fruto do trabalho dos imigrantes italianos que a partir de 1875 vieram para o Rio Grande do Sul e se dedicaram à produção de uvas e vinhos. Traziam, junto com as poucas bagagens, o sonho de viver com dignidade, sem passarem pelas necessidades que os afligiam na Itália recém unificada de então”, rememorou.


Ele contou que os imigrantes se lançaram ao trabalho e em poucos anos a Colônia Italiana já produzia excedentes para comercializar dentro e fora do seu território, embora as dificuldades de transporte fossem um grande entrave. Entre estes produtos, a uva e o vinho logo se destacaram, e graças aos investimentos governamentais na abertura de estradas e à chegada da linha ferroviária os excedentes conseguiram atingir mercados distantes, dando impulso ao setor vitivinícola.


Segundo Pepe, com a crise econômica internacional de 1929 e a consequente queda no consumo interno e nas exportações, os agricultores da região colonial italiana precisaram de novas soluções para manter sua produção e seus negócios. E foi neste contexto que surgiram as três cooperativas vitivinícolas homenageadas.


A Cooperativa Nova Aliança, que leva o nome da antiga Cooperativa Vinícola Alliança, fundada em 4 de janeiro de 1931 em Caxias do Sul, se fundiu com outras quatro cooperativas em 2010: a Cooperativa Vinícola São Victor, a Cooperativa Vinícola São Pedro, a Cooperativa Vinícola Linha Jacinto e a Cooperativa Vinícola Santo Antônio. A Nova Aliança conta com 700 agricultores associados e atua nas regiões da Serra Gaúcha, Serra do Sudeste e Campanha Gaúcha.


A Cooperativa Vinícola Garibaldi, por sua vez, foi fundada em 22 de janeiro de 1931. Tem 430 famílias associadas em 15 municípios da Serra.


A Cooperativa Vinícola São João foi fundada em 25 de outubro de 1931, na Vila Jansen, em Farroupilha. Conta com aproximadamente 480 famílias associadas.


Pepe ressaltou que a produção cooperada permitiu um significativo desenvolvimento da vitivinicultura da região e viabilizou ao longo dos anos a atividade econômica das pequenas propriedades rurais dos associados. “As diversas conjunturas econômicas trouxeram maiores ou menores dificuldades ao setor, mas sem a menor sombra de dúvida, o sistema cooperativo sobreviveu, num processo no qual aquelas que souberam envolver os cooperados nas decisões, que investiram na capacitação e profissionalização da gestão, que buscaram inovar e qualificar seus processos e produtos se consolidaram”, avaliou.


O parlamentar afirmou ainda que as três cooperativas garantem assistência técnica aos associados visando a melhoria da qualidade das uvas e investem incessantemente na melhoria da qualidade da produção de sucos, vinhos finos e espumantes. “Seus vinhos e sucos vêm recebendo a cada dia mais premiações em processos de avaliação nacionais e internacionais”, apontou.


Desenvolvimento regional

O deputado enfatizou também a importância da agricultura familiar para a região serrana do Rio Grande do Sul. “O fato de ter sido originada de um processo de colonização, implementado pelo Estado brasileiro, caracterizado por pequenas propriedades de produção familiar, está na base deste desenvolvimento. As pequenas propriedades rurais trouxeram diferenciais importantes para o desenvolvimento regional. Viabilizaram um contingente populacional que constituiu um importante mercado local para o que na região se produzia e, ao não concentrar as terras, o projeto de colonização permitiu uma melhor distribuição de renda, o florescimento do comércio e os capitais que permitiram o surgimento de um significativo setor industrial com o passar dos anos”, pontuou.


Por fim, Pepe frisou que “a importância das cooperativas vinícolas exige do poder público estadual e federal um constante diálogo e aperfeiçoamento das políticas públicas voltadas a este segmento e aos seus associados, seja na diferenciação da tributação, no acesso ao crédito, nas políticas de apoio e escoamento da produção, na garantia de preços, na assistência técnica e extensão rural e em mecanismos eficientes de seguro agrícola”. Aproveitou para reivindicar política para escoamento do suco de uva, uma das prioridades no momento.


As deputadas Luciana Genro (PSOL) e Zilá Breitenbach (PSDB) e os deputados Edegar Pretto (PT), Elton Weber (PSB), Carlos Búrigo (MDB), Gerson Burmann (PDT), Sérgio Turra (PP) e Marcus Vinícius (PP) se manifestaram por meio de apartes. O senador Luís Carlos Heinze (PP/RS) acompanhou a homenagem.