PL declara Orixá Ogum Patrono Espiritual das Religiões Afro-Brasileiras no RS

O deputado estadual Pepe Vargas protocolou nesta quarta-feira (25.05) o projeto de Lei que declara o Orixá Ogum Patrono Espiritual das religiões afro-brasileiras no Estado do Rio Grande do Sul. O território gaúcho reúne mais de 30 mil terreiros, enquanto no Estado da Bahia, local considerado a maior força da umbanda e do africanismo, estão registrados 5 mil. “O projeto vem consolidar uma posição, de acordo com a Constituição Federal, de liberdade de culto, diversidade e tolerância religiosa e de preservação da cultura de matriz afro-gaúcha, indissociável de nossa própria história”, explica o parlamentar.

O Orixá Ogum, de acordo com a tradição das religiões afro-brasileiras, é o grande guerreiro de Olodumáre, senhor da forja e do aço, é um Orixá tenso, forte, obstinado e voltado ao trabalho e à técnica. Essa característica, conforme a justificativa do projeto, o identifica com os rio-grandenses. “Este legado de Ogum, creem, nos coloca em um responsável compromisso de honrá-lo como o patrono das religiões afro-brasileiras no Estado do Rio Grande do Sul”, destaca.

Além disso, o Estado é reconhecido, nacionalmente, pelos representantes das religiões afro-brasileiras, ativos na manutenção desta tradição religiosa e cultural. Segundo o projeto, essas lideranças religiosas mantêm acesa a chama da tradição e os fundamentos deixados pelos antepassados.

O PL atende um pedido feito pela Federação das Religiões Afro-Brasileiras (AFROBRAS), Conselho Superior da Umbanda e das Religiões Afro Brasileiras (CONFURBRAS), União Umbandista dos Cultos Afro Brasileiros (UUCAB), Conselho do Povo de Terreiro do Estado do Rio Grande do Sul (CPTERS), Associação de Umbanda Caxias (AUC), Aruanda Sociedade Espiritualista de Umbanda (ARUANDA) e Associação Leopoldense de Candomblé.