Situação do Ipê-Saúde com a saída em massa de médicos e hospitais é debatida em Audiência Pública

Atendimento e descaso com usuários e profissionais, além do desequilíbrio nas contas do IPE saúde foram debatidos numa audiência pública na manhã desta quarta-feira (6).

O deputado Pepe Vargas, que em 2019 criou uma subcomissão na busca de soluções para os problemas da autarquia lembrou que: “durante meses ouvimos usuários e pessoas ligadas ao IPE saúde, elaboramos um relatório com recomendações que poderiam melhorar o sistema de atendimento e a saúde financeira da autarquia. As recomendações foram levadas ao Governador Eduardo Leite que lamentavelmente não observou nenhuma delas. ”

Pepe lembrou que a Assembleia Legislativa tem debatido esta questão há anos e nunca se omitiu da busca de soluções, mas o Governo do estado não tem tomado medidas efetivas.

O deputado destacou que o IPE-Saúde que atende 1 milhão de usuários, está há oito anos sem reajuste de mensalidades o que compromete a receita do plano e os salários dos servidores, “sem crescimento da receita, o resultado é o desequilíbrio de contas, não cresce a receita, mas cresce a despesa e aí não tem como fazer atendimento adequado aos usuários nem remuneração adequada para os prestadores de serviços.

Segundo ele, o déficit, em 2020 foram 353 milhões de reais, que representava 28,03% da receita. A inflação acumulada pelo INPC é superior a 54%, se tivesse sido repassada a inflação, não haveria este déficit. Ele ressalta que a razão disso é a não realização de concursos público e o sucateamento dos serviços, “O IPE tem que resolver o problema do quadro de pessoal, se não fizer um controle eficiente, não tem o que fazer. ”

Ao final. Pepe lembrou que os imóveis do IPE adquiridos com as contribuições dos servidores, estavam avaliados em 185 milhões, porém eram avaliações antigas e o valor é maior, ” O estado vendeu os imóveis e estes valores precisam ser vertidos para o IPE Saúde. A cota patronal e os recursos da venda dos imóveis poderiam dar um alívio. ”

O presidente da AL, deputado Valdeci Oliveira destacou que este tema, devido a sua complexidade e importância, não se esgota em apenas um encontro. A partir de uma verificação mais apurada, com o apoio, inclusive, da assessoria técnica da Assembleia, será necessário, mais reuniões de trabalho. Ele destacou que a nova gestão mostra disponibilidade ao diálogo e a transparência e, portanto, há espaço para a construção de alternativas, “A Assembleia Legislativa é parceira, pois defender um IPE Saúde público e eficiente e que preste realmente um serviço de qualidade aos seus segurados, que são mais de 1 milhão de gaúchos e gaúchas, é nosso compromisso”.

Participaram da audiência pública o presidente do IPE Saúde, Bruno Jatene, deputados Valdeci Oliveira (PT), Pepe Vargas (PT), Luciana Genro (P sol), Dr, Thiago (união Brasil) e Frederico Antunes (PP).